domingo, dezembro 19, 2004

Um favor

Eu nem consigo mais levantar meus olhos para olhar para as pessoas
Sim, meu cabelo está cobrindo meu rosto, não reclame, não estou te obrigando a olhar pra mim
Eu não consigo mais olhar pra nada disso, tudo me da nojo, tudo me da vontade de vomitar
E não há como fugir, essas malditas pessoas estão por todos os lados, em todos os lugares.
A cada dia elas conseguem se superar, sua hediondisse é tão incomensurávelmente gigantesca que o meu estomago não pode mais suportar.
Nossos maiores heróis, ele me disse que eles são heróis, um bando de caras que não fazem nada a não ser jogar bola e comer mulherzinhas no pagode, e eles ganham mais do que toda a população pobre de ponta grrossa junta consegue ganhar em cinco anos, por simplesmente jogar bola. E então eu ainda tenho que ouvir que eles são heróis?? e ainda tenho que engolir que ele é meu pai??? que eu tenho o sangue dele??? heróis???
Não é contra o futebol, olhe só o tanto de dinheiro que é roubado anualmente de toda a população brasileira, é mais do que toda ela ganha junta, e custava alguns porcos melhorarem um pouquinho as coisas para sua mina de ouro??? afinal sem ela, eles não seriam nada.
Não é apenas um discursinho sobre a desigualdade social, porque eles são ruins em tudo, há os grandes que inventam causas absurdas para terem vantagem e há idiotas que ainda morrem por essa causa. Eu não sei porque, mas o ser humano é tão despresível que sempre precisa de um líder para servir cegamente.
E quando ele tão idiota consegue inventar um Deus então, uma coisa imaginária, uma criação inesxistente pela qual ele pode morrer e matar. Claro que há os mais ambiciosos que não estão apenas dispostos a matar, mas como também, fazer com que os outros matem por eles. Afinal, mais ridículo que Deus, só o Diabo.
E ainda há aqueles que não vão nem vem, essa é a maior parte deles, estão aí só pra fazer volume, só para perturbar os outros, só para se vestirem de colorido e quase me cegar quando aparecem na minha frente, só para me encherem o saco porque me dizem que eu não sou normal, só para seguir os bons costumes (uau, eles inventam cada coisa!!!), só para exercer sua ignorância, só para criar mais problemas, porque eles não conseguem viver sem eles, só para baterem de mim, só para fofocar, só para mandar um bando de delinquentezinhos se encostar na parede, só para mostrar seu poder, só para correr atrás do poder.
Eu só queria ir embora para um lugar onde não existisse nenhum deles, foi isso que eu desejei durante toda a minha vida, desde que eu era uma criança, uma caverna como a do Grenouille.
E me diga pra que? pra que toda essa bosta? pra que toda essa gente vagando aqui? não tem sentido nenhum, a terra não está treinando para uma competção de o melhor planeta ou algo assim, as pessoas simplesmente morrem e não existem mais, ficaram aqui ocupando espaço pra nada, então pra que puta merda, pra que aguentar todo esse mal cheiro?? pra que ter que aguentar todo esse fingimento??
Eu quero morrer, mas não estranhem se um dia eu entrar atirando no colégio, eu já adiei demais esse compromisso.....ou seria um favor?

domingo, dezembro 12, 2004

Uma cova para os anjos

Um choro abafado pela madeira
Atravessa o chão e chega até o céu
Lá fora estão chegando mais caixas de manteiga
Faça seu pedido, hoje precisamos enterrar muitos
Forre a caixa com seda branca
O mínimo de respeito para aliviar a culpa
Um lençol manchado de sangue
Inocência bem adulta, pureza deflorada
Embrião vida bola, bolinha de borracha
Precisamos tira-lo lá de dentro
Use algo pontudo para arrancar a coisinha do útero
Um lençol de seda manchado de sangue
Pele rasgada, cérebro destruído
Morra bebezinho, ninguém precisa saber o que aconteceu
Ela chora pelo choro que nunca veio
Uma caixa de manteiga direto para o chão
Lá embaixo, bem escondidinho, longe da vergonha
A descendência do pecado nem teve a chance de fazer barulho
Célula da vida morta, gritando, afogado em sangue
Ela não tem culpa, mamãe não sabe o que faz, é quase uma criança
Vergonha escondida, choro abafado
Pele rasgada, Sangue no lençol
Um lugar bem confortável para se descansar para sempre
Um lugar tão digno para se estar
A melhor idéia para esconder
Bebês enterrados em caixas de manteiga
Todos os anjos já têm um lugar garantido no céu
-O que é um anjo?
-São bebês com asas. Dizem que você mata um anjo cada vez que faz
sua mãe chorar
-Faço minha mãe chorar o tempo todo. Às vezes, basta olhar pra ela...

segunda-feira, dezembro 06, 2004

Antes que eu vomite

Mais um dia que não se foi. Mais um dia que não acabou porque eu
continuo fingindo que alguma coisa pode acontecer. Noites que não
deveriam vir, noites que eu não deveria passar aqui, mas hoje eu vou
ficar porque estou com muita dor de cabeça.
Uma garagem com uma banda berrando angústia juvenil em três acordes,
é pedir demais?
Minha vida se resumiu a nada, a um pedido desesperado por mais
inspiração no desespero, aliás, minha vida nunca foi nada, só que
antes passava mais rápido.
Eu poderia pedir para alguém me ajudar, mas eu sei que isso não
adiantaria, pessoas assim não podem ser salvas.
Hoje eu passei o dia inteiro procurando nada, tentando alcançar
alguma coisa e alcançando uma angústia inalcançável, isso é apenas
para derrotados com diploma de perdedores, não é para qualquer um,
você precisa ter experiência, precisa ter talento para se foder.
Na escola eu aprendi isso muito bem, lá você pode ganhar um diploma
de como ser nada na vida, eles nem te conhecem, mas podem dizer
se você pode fazer ou não. É como falsificar um atestado e ganhar
uma suspensão, ninguém sabe quem está mentindo mais.
Reprovar, vomitar, chorar, arrotar, amar, quebrar, cagar, tudo isso
faz parte da vida de alguém que não presta, o engraçado é que já me
disseram que pessoas normais também fazem isso, a única diferença é
que elas fazem com mais descrição, são educadas entende?
Mas a parte de que elas mais gostam, sem dúvida, é a de amar. Ah, e
como recusar o sentimento mais nobre que existe? Mande infinitos
sonhos para seu amor platônico, olhares de fome, horas perdidas,
palavras despedaçadas e um sorrisinho de cortesia, um dia o endereço
vai mudar, e a única diferença vai ser o lugar para onde mandar toda essa bosta.
Então você me pergunta: o que eu posso tirar de tudo isso?
Nada. Já foi uma grande perda de tempo você ter lido.

quarta-feira, novembro 24, 2004

Macaquito

Essa é a história
Sobre um garoto
Com cara de macaco
Que matava todos

Ele não queria
Mas não conseguia
Queria ter amigos
E apenas tocar

Mas ele não podia
E não percebia
Que era sua ruína
Ter amigos

Então ele foi
Tocar sozinho
No meio do mato
Bem quietinho

Eu queria ser
Como macaquito
Eu queria ser
Como macaquito

domingo, novembro 21, 2004

Cherry Bomb..........um pouco modificada

Não consigo ficar em casa
Não consigo ficar na escola
Todos dizem que sou apenas uma tola
O que tem de errado comigo?
Sempre um probleminha
Sempre atirada na casa da titia
Eu já morava na casa da vovó

Olá papai, olá mamãe
Eu sou uma cherry bomb
Olá mundo, eu sou uma menina brava
Eu sou uma cherry bomb

A bombinha que estava na sua barriga mamãe
Um dia as coisas aparecem
Sempre um probleminha
Sempre uma bombinha
Um dia a bombinha estoura
E começa a fazer muito barulho
Barulho muito alto dá dor de cabeça

Olá papai, olá mamãe
Eu sou sua cherry bomb
Olá mundo, eu sou uma menina má
Eu sou sua Cherry bomb

Papai tinha vergonha de não ser nada
Papai sempre cheirou cerveja
Papai sempre foi mal humorado
Papai não tinha nem dinheiro
Odeio papai, odeio mamãe
Eles nunca estavam na minha apresentação
Papai e mamãe querem me castigar, mas eles não tem nem razão

Olá papai, olá mamãe
Eu sou sua ch ch ch ch cherry bomb
Olá mundo, eu sou uma menina desapontada
Eu sou sua ch ch ch ch cherry bomb

Agora eu não acredito em mais nada
Todos os dias eu tenho que me proteger do sol
Eu estou andando com os olhos bem fechados
Talvez assim, um dia eu passe do segundo grau
Ei garoto, o que está na moda?
Seus sonhos impossíveis não farão você sorrir
Eu vou inventar algo para você procurar
Assim você talvez possa fingir

Olá papai, olá mamãe
Eu sou sua ch ch ch ch cherry bomb
Olá mundo, eu sou uma menininha perdida
Eu sou sua ch ch ch ch cherry bomb
Cherry bomb
Cherry bomb
Cherry bomb

ei

entrem no
www.leitaodavacona.weblogger.com.br

segunda-feira, novembro 15, 2004

Os Pequenos Jangadeiros

Marcelo e Janaína eram dois pré-adolescentes radicais, eles
estavam cansados da vidinha medíocre que levavam, na mesma rua, a
vida inteira, pesquisando o mesmo velho louco.
- Agente podia se aliar com ele, falou Marcelo.
- Pra que? Respondeu Janaína
- Pra descer o rio
- Será que ele topa?
- Claro que sim, é só pedir com jeito
- Lembre-se Marcelo, o nome dele é quinquim, Q-U-I-N-Q-U-I-M!
Então, os dois ultra-jovens super radicais vão ao encontro do velho
louco.
-Olá Quindim! Diz Marcelo, que logo leva uma cotovelada muito forte
de Janaína.
-Olá pequenos diabinhos
-Quinquim, leva agente descer o rio? Pergunta Janaína.
-Tá bom.
Já no rio, os dois sentiam-se realizados, enquanto Quinquim se
sentia feliz por ser útil.
-Quindim, quantas vezes você já desceu esse rio?
-Ah meu filho, isso não se conta.
Marcelo ficou quieto e até hoje não entendeu o sentido da frase
de Quinquim. Se você levar em consideração, que essa história
aconteceu nos anos 50, verá que faz muito tempo. Marcelo, sempre irá
lembrar daquela viagem como a mais emocionante de sua vida, depois
de sua viagem a lua, é claro, e ele mal pode esperar para ir a
Júpiter, ele e Janaína, os eternos adolescentes radicais, e eternos
mesmo porque Janaína continua do mesmo tamanho.

sábado, outubro 30, 2004

Confissões de adolescente

É incrível como ultimamente tudo soa de um modo estupidamente ridículo. Parece que as coisas que me cercam saíram de um seriado ruim para adolescentes, um Confissões de Adolescente.
Tudo que eu queria era morrer.
Vamos beber mais um pouquinho? Eu juro que é só um pouco.
Aquela vadia roubou ele de mim.
Ela não está nem aí
Eu vou reprovar de novo
Eu não preciso de dinheiro
Eu gosto muito de você
Vai, você sabe dirigir? E onde você vai dormir hoje?
Posso ir junto?
Posso dormir com você?
Te pego na saída
Eu não vou mais ficar com ela
Seus vândalos
Agente te esqueceu porque você era a parte menos importante
Eu juro que eu gosto muito de você
E agora, como vamos limpar essa porra?
Ah, não, você vomitou na sua roupa de novo
Eu vou ter uma banda
Ele tem nóia sim, e é da boa
Eu acho que ainda gosto dele
Eu to com vontade de vomitar
Eu já disse pra você parar com isso
Passou a noite inteira fingindo que não me viu
Somos punks
Ei, você tem aí?
Porque aquela vadia me machuca mesmo quando eu gosto dela?
Escolhemos levar um estilo de vida James Dean porque é mais excitante
Ele morreu
Eu também vou
Mas é cabaço
Eu briguei com meu pai de novo
Eu acho que em umas três matérias
Pare de quebrar isso
Me mandaram bater nele
Se você me der um beijo, juro que eu paro de te encher
Eu acho que tem vomito no meu cabelo
Onde vai ser a próxima festa?
Porque você não quer?
Eu nem gosto mais dele
Na verdade, agente precisava estudar
Ela gosta de beijar outras meninas
Eu não vou poder sair, estou de castigo
Olhe, é um lugar proibido, vamos lá?
Eu só queria ser mais velho
Sim eu já tenho namorado
E daí?
Me dá mais uma bola, mais uma bola....
Você ta passando mal?
Papai e mamãe brigaram de novo
Eu quase morri, foi uma sensação horrível, nunca mais vou beber
Pare de gritar, alguém pode ouvir
E o que a sua namorada vai dizer disso?
Ela que se foda
Eu gosto tanto de você que chego a me sentir mal
Me dá o cigarro, me dá o cigarro.
Me de algo vivo para matar antes que eu mate um ser-humano
O meu estômago tá doendo de novo
Vamos quebrar aquilo?
Não chore
Eu ainda sou virgem
Você está na escola de novo
Eu preciso de você
Mas que ridículo hein?
Eu fui expulsa de todos os lugares que eu odiava e também dos que eu amava
Você está completamente chapado
É, eu acho que ela deu pra ele
Eu preciso de uma arma
Eu não vou mentir, eu quero mesmo
Injete glicose no meu sangue
E agora?
Eu vou morar sozinha
Olhe isso, acho que vou ter que levar pra casa
Venha ser minha noiva com um bebê na barriga
Água de rosas, cheiro de fraldas
Pare com isso
Minha família é uma bosta
Eu preciso de um emprego
Eu não posso ir para a escola, eu estou suspensa
É claro que minha mãe não sabe, se ela souber...eu não quero nem pensar nisso
Foi uma carrerinha bem pequena
Eu acho que eu te amo
Eu me odeio e quero morrer
Era um viado, gay dado
Como você sabe?
Ele morreu de aids
Devolva o meu álcool, devolvaaa.....
Eu não fiz nada
Eu não consigo, cada vez que eu chego perto dele eu lembro de tudo, é como se eu fosse morrendo bem devagarinho
Meu deus, a Rone pode aparecer aqui, e se te pegarem com isso, fudeu
Mais é uma fofoqueira
Você ainda não conseguiu me convencer
Ela mentiu pra mim, vadia
Você tem seda?
Eu juro que é bom
Meu pai me odeia, minha mãe me odeia
Todos querem me matar
Eu amo você mais que tudo, mais do que eu consigo
Ninguém gosta de mim
Eles se comeram
Eu vou fugir
Ninguém viu Cobain atirar
Eu acho que você ta começando a gostar dele
Ele morreu sim, tava completamente chapado
A mulher da enfermaria, cavocou meu dedo, mas não tirou a ferpaaa.....
O que foi? Você ta me estranhando?
Eu não consigo entender, eu não consigo pensar, eu queria esquecer, mais vou chorar
É claro que eu entendo porque eles fizeram isso, se eu tivesse muitas armas, também faria.
Eu odeio todo mundo
A minha vida é uma bosta
Eu ainda acho que eu quero morrer
Tudo isso me deixa muito mal
Eu realmente amo você
Eu ainda sinto seu cheiro
Eu ainda ouço seu choro
É tudo que eu peço
Por favor, não vá embora
Não vá embora
Não vá embora
Não vá embora......

domingo, outubro 24, 2004

....Smashing Pumpkins.....

Today...Hoje

Hoje é o maior
Dia que já vivi
Não posso viver para amanhã
O amanhã é muito distante
Meus olhos se queimarão
Antes de alcança-lo

Eu quis mais
Do que a vida poderia um dia me dar
Entediado pela rotina
De poupar prestígio

Hoje é o maior
Dia que já vivi
Não posso esperar por amanhã
Posso nem chegar tão longe
Picotarei meu coração
Antes de alcança-lo

Cicatrizes de laços rosas
Que nunca se esquecem
Já tentei tanto
Limpar esses desgostos
Minhas asas de anjo
Foram arrebentadas e restringidas
Minha barriga dói

Hoje é
Hoje é
Hoje é
O maior dia

Eu quero te ligar
Eu quero te ligar
Eu quero te ligar
Eu quero te ligar

Hoje é o maior
Hoje é o maior dia
Hoje é o maior dia
Que eu já realmente vivi



Soma

Nada mais a dizer
E tudo que me resta fazer
É fugir
De você
Ela me engnou até com segredos
Que não poso guardar

Feche seus olhos e durma
Não espere por mim
Silêncio agora não fale
Comigo

Te envolvi com minha mágoa
E me abrigeuei nessa dor
O ópio de minhas culpas
É o seu coração partido, o seu coração

Então agora estou totalmente sozinho
Como sempre me senti
Irei revelar minhas lágrimas
Para qualquer um envolvido no nosso truque

Um último beijo pra mim....
Um último beijo de boa noite

Não queria te perder outra vez
Não queria ser só seu amigo
Honrei uma promessa de estanho
E me arrastei de volta para você

Estou totalmente sozinho
Como sempre me senti
Irei me revelar
Para qualquer um, perdido, qualquer um menos você

Então deixe a tristeza imperar novamente
Nisto você vai depender de mim
Até o amargo, amargo fim do mundo
Quando Deus dormir abençoado

Estou totalmente sozinho
Como sempre me senti
Irei me rvelar
Para qualquer um




domingo, outubro 17, 2004

mas por que...........

Porque ultimamente as coisas estão piores?
Por justamente estarem parecendo melhores, nos últimos tempos tenho visto muitos sorrisos que não expressavam verdadeira felicidade, mas sim, um certo conformismo, dizendo sim aquela velha história de que são as pequenas coisas idiotas que fazem a vida feliz.
Pessoas que gostam de tirar fotos desfocadas, as piores fotos que já vi, mas mesmo assim, alguns me garantem que isso faz elas se sentirem felizes. Eu acho que não.
Para falar a verdade não me lembro de um sorriso de verdadeira felicidade, acho que nunca conheci isso, a não ser, daquelas crianças que vão fazer o que o papai herói mandou mesmo depois de ter levado um esporro como um escravo, e mesmo assim, elas riem de qualquer coisa, e parecem estar realmente felizes. Nos meus sonhos, eu sempre tenho um sorriso de paz escondendo um verdadeiro abismo. Todos os sorrisos que eu vejo escondem por trás um terrível desapontamento e ódio de tudo, até que eles se cansam de serem sorrisos e acabam virando aquela silhueta triste que é a coisa mais comum que eu posso ver, todos aqueles olhares tristes, todos aqueles olhares que não aguentam mais esperar por nada, todos aqueles olhares cansados de fim de noite, com que eu passei a minha vida inteira e agora vejo refletido nos rostos de todos os meus amigos. Todo mundo agora ri de tudo, ri porque na verdade queria chorar, então começa a sessão delinqüência juvenil, então começa a sessão de como seria verdadeiramente legal ver aquele cara com uma fratura esposta, então começa a sessão de como seria legal ver o mundo explodindo.
Porque? porque jovens tão saudáveis fazem isso? Porque jovens tão fudidos, bravos, cansados, injuriados, machucados, chingadores de Deus, perdidos, desapontados, drogados são tão maus assim? Talvez só precisassem de ajuda, só que essa ajuda parece não existir, e com certeza ela não está em psicólogos.
Talvez eles só precisassem descansar, ah, e como eles já pensaram nisso, seria tão mais simples. Então viram que tem uma coisa legal para se fazer. Festinhas!!!! Decidimos levar um estilo de vida James Dean porque é mais excitante. Se for pra morrer, que seja de cirrose, que seja de overdose, eles vão fazer festinhas, para todos eles encherem a cara, ouvir bandas, vomitar, falar com seus amigos sobre coisas idiotas, ficar longe de casa, quebrar algumas coisas e rir frenéticamente para depois apanhar da polícia e deles mesmos, para depois voltarem para aquele tédio e chateamento infernal que é a vida deles, até outra festinha. O único problema é que até nas festinhas eles tem olhares de quem não aguenta mais, então o que fazer com essa gente? Eu não sei, só sei que se depender de mim, o Simon vai continuar sendo o meu herói.

segunda-feira, outubro 11, 2004

E eu, vou dizer o que?

Nada em especial. Ultimamente isso tem acontecido muito. Passei
horas com meu melhor amigo. Passei horas lamentando com meu melhor
amigo. Ela foi embora. Agora, ela também vai. Todo mundo uma hora
vai embora, daqui a pouco, meu melhor amigo também vai. Todos os
meus amigos vão embora, de uma forma ou de outra, eles sempre vão,
mesmo quando estão perto. Tudo vai acabar, aquelas coisas a que eu
me apeguei, aquelas coisas com que eu me acostumei, aquelas coisas
que eu ainda queria fazer, tudo vai acabar.
Meu primo, meu padrinho, meu irmão, meu melhor amigo. Minha amiga,
minha irmã, minha bisavó madrinha, minha melhor amiga. É, realmente
no começo, foi meio demais pra minha cabeça. Principalmente porque
eu conheço quem está esperando por ele, porque ela ligou e eu tive
que falar dele como se nada tivesse acontecido, como se eu não
soubesse de nada. Isso me aborreceu um pouco. Por isso eu passei
horas com meu melhor amigo. Horas conversando. Horas reclamando.
Agora tudo parece não ter muita importância.
Minha melhor amiga foi expulsa. Não, ela não foi por vontade
própria, ela foi exilada. Algumas pessoas sempre dão com a língua
nos dentes para quem manda. Você perdeu seu direito de sair, você
perdeu deu direito de entrar, agora, tente encontrar seu lugar,
tente encontrar seu lar.
Eu tenho mais de uma melhor amiga, justamente por ter poucos amigos.
Eu sempre tento proteje-los, sempre tento fazer eles não enxergarem
para não se sentirem mal, mas eles sempre olham e eu sempre falho.
Minha melhor amiga. Meu melhor amigo. Eles me disseram que eu saí do
meu corpo. Eu disse que não. Eles disseram que sim, e o que o corpo
faz a alma não vê, a mente não lembra. Eu me lembro, juro que vou me
lembrar, eu não sou uma pessoa que esquece. No outro dia meu corpo
inteiro doía como se eu tivesse levado uma surra, e eu não sei
porque. Muitas gente saiu do corpo, várias vezes, vários dias.
E aquela criança de quem eu deveria tomar conta? Eu sempre falho em
cuidar dela, é o que eu faço de melhor. Hímen quebrado de sua
inocência, eu sei que nunca mais vai voltar. Me desculpe, me
desculpe, eu deveria tentar cuidar melhor dela. A única coisa que eu
consegui fazer, foi traze-la para mais perto do inferno, mais perto
do meu lar, um lugar que eu não escolhi, mas que me acostumei, me
sinto tão bem dentro das sombras que acho que nunca vou conseguir
sair de lá.
Meu melhor amigo não é um adulto. Com aquela cara? Ele é um piazinho
do Cefet. Cabaço. Ele mandou sua mãe dormir. Agora, as nossas mães
se juntaram e estão tentando fazer agente entrar, estão tentando
provar que há outras saídas, estão tentando nos tirar o direito de
sair, estão tentando provar que se importam. Elas estão realmente
enchendo o saco.
E nós ainda temos que resolver os problemas com aqueles por quem
lamentamos, aqueles que grudam, aqueles que nunca vão embora,
aqueles que roçam, aqueles que parecem que ficaram encrostados em
nossa alma para sempre. Eles deveriam pagar um aluguel, ou talvez,
nós devêssemos subir o aluguel, e assim talvez, eles fossem embora.
Eles são problemas, porque nós não sabemos como lidar com eles, e
talvez eles só devessem ir embora. Ir embora. Meus amigos sempre vão
embora.

ei....

eu estou meio que publicando uns textos velhos misturados com uns textos novos, por isso talvez alguns não façam mais muito sentido, se bem que parece que nenhum deles faz o minímo sentido, mas mesmo assim, alguns vão fazer menos sentido ainda.

Esquecendo

Ei, era pra esquecer.
Não era pra doer, não era pra lembrar.
Todas as coisas importantes, eram pra ser esquecidas.
Elas são tão idiotas assim.
Mas eu sei que não vou conseguir esquecer porque eu sou idiota.
Está tudo pregado e grudado na minha alma.
Descendo pela minha boca e indo direto pro coração.
Eu realmente não deveria esperar você passar.
Eu não me importo com o que você pensa, a não ser que seja sobre mim.
Alguém me desapontou ontem.
Todo mundo me desapontou ontem.
Eu sei que vou ficar pra sempre esperando você ir embora.
Porque eu sou idiota
Eu não deveria esperar você passar
Vamos lá, ele decide aparecer às vezes
Depois de me desapontar durante a noite inteira
Depois de fazer todo o possível para me desapontar
Depois de realmente me deixar mal
Depois de tudo isso, ele ainda vem se encostar em mim
Eu não deveria esperar você passar
Deveria te dar um tiro quando você estivesse passando
Porque simplesmente era pra eu ter esquecido
E é isso que eu estou fazendo aqui:
Esquecendo
Ou tentando esquecer

domingo, outubro 10, 2004

Isso tudo me apavora

Eles vão fazer o que eu ainda não tive coragem. Eles vão fazer o que
eu mais quero fazer. Mesmo assim isso ainda me apavora. Eles vão
embora. Isso é totalmente novo e difícil de aceitar. É diferente
demais pra mim. Apesar de tudo eu necessito do conforto de ter tudo
no lugar, ter todos a minha volta, que ninguém se separe ou vá
embora. Eles vão embora, e eu quero que eles vão, eu apoio o a sua
decisão, eu quero que eles vão e sejam felizes, mas mesmo assim isso
me apavora. Talvez porque eles vão embora juntos. Talvez porque eles
juraram ficar juntos para sempre. Talvez porque eles me disseram que
iriam se casar. Mas porque isso me apavora tanto? Talvez porque eu
tenha um trauma. Talvez porque um dia eles vão se separar. Talvez
porque eu nunca queria ter saído da minha primeira casa. É pra lá
que eu quero voltar. É pra lá que eu quero voltar no tempo e ficar
parada no lugar, num estante estático de felicidade. Agora tudo que
eu quero é sair da minha casa que não é minha, e eu não quero nunca
mais voltar. Agora eu só quero a minha liberdade acima de tudo. Eu
quero ficar livre para fazer tudo. É isso que eles vão fazer. Vão
ser livres. Vão se prender. Vão se prender porque precisam um do
outro. E depois? Quando tudo terminar? Vai doer porque eles vão
ficar sem uma coisa que necessitam mais que tudo. Vai doer porque
eles vão se separar. Eu já vi isso acontecer e eu não gostei nem um
pouco. Isso me apavora. Por isso eu ainda acho que é melhor não
olhar. Por isso eu não chego perto porque eu sei que não vou
conseguir me libertar. Por isso eu não olho. Eu não olho porque eu
sei que preciso. Por isso eles vão embora. Por isso eles vão fazer o
que eu queria fazer. Por isso eles vão embora. Por isso, tudo isso
me apavora.

segunda-feira, outubro 04, 2004

....é bem isso....

Lembre-se de levar tudo pra escola
Não vá esquecer de vender sua bondade.
Ora, vamos lá garoto esperto, não vá se perder dentro de suas
próprias calças
Todos os dias ele rezava:
Anjinho, anjinho
Por favor não me deixe sozinho
Porque eu sei que no fundo
Eu sou só mais um fudido
E eu apenas dizia:
Pobre menininho
Vamos entregar tudo
Você não precisa fingir que é mal, eu sei que você é medroso.
Hipocrisia misturada com lealdade, tem algo melhor que isso?
É isso aí meu amigo, todos nós vamos nos salvar um dia
Você pode me pedir para treinar, eu posso tentar até explodir
Todos nós vamos pagar por isso
Garoto mal, devolva o que não é seu
Vamos morrendo direto pro céu
Você sabe que é mentira
Eles disseram que ainda não está na hora de começarmos uma revolução

Fergusun

Ao menos a infância dos outros havia sido bela. a dele nem isso.
Havia uma vozinha martelando em sua cabeça:
-Fergusun mal, Fergusun mal.
Ele era totalmente desprezível. Todos odiavam fergusun. Ele
sempre tentava ser bom e sempre era fodido. Fergusun tem alguns
amigos. Eles sempre o roubam.
-Fergusun mal, Fergusun mal.
Espanquem Fergusun, ele é totalmente desnecessário. Ele já devia
ter morrido há muito tempo debaixo d’água.
-Fergusun mal, Fergusun mal.
Fergusun bate a cabeça muito forte na parede, ele sangra e cai no
chão de tanta dor. Ninguém vê. Alguns tropeçam em Fergusun, e não
vêem
Abutres comem carniça. Todos querem um pouquinho.
-Fergusun mal, Fergusun mal.
Ninguém gosta de Fergusun. Ele é um verme desprezível rastejando
entre todos. Rejeitado. Ninguém o acha grande coisa. As vezes, fazem
para tirar o peso da consciência.
-Fergusun mal, Fergusun mal.
Fergusun quer morrer, Fergusun não pode morrer, ele tem de
persistir. Fergusun vai morrer.
-Fergusun mal, Fergusun mal.
Fergusun está morto e sepultado, dentro do coração de cada um.
-Fergusun Mal, Fergusun Mal.
Fergusun grita, Fergusun sente dor, Fergusun é espancado,
Fergusun é esfaqueado pelas costas. Seu sangue lava a mão dos anjos.
-Fergusun mal, Fergusun mal.
Chutem fergusun, chutem
-Fergusun mal, Fergusun mal.
Fergusun está cansado demais para continuar, cansado e machucado.
A única explicação para tanto ódio era:
-Fergusun mal, Fergusun mal.

quarta-feira, setembro 29, 2004

Ele tinha crescido



Ele tinha crescido

Ele se cortou com a garrafa de bebida

Ele tinha crescido

Seu cabelo não cheirava mais a manteiga, mas sim a fumaça. Ele havia perdido aquele doce cheiro de criança para o salgado cheiro do suor.
É assim que você vê quando cresceu, quando no fim da noite suas roupas cheiram fumaça e bebida misturadas com um perfume que não é seu.

Ele tinha crescido

Ele foi até o outro lado da cidade para comprar seda. Não podemos despertar suspeitas. Ele havia encontrado um novo jeito de ficar feliz, e isso era realmente muito, muito legal.

Ele tinha crescido

Seus amigos não eram mais os mesmos. Ele não era mais o mesmo. Seus interesses haviam mudado, agora ele queria fazer tudo de uma vez, ele não queria mais voltar pra casa, só queria ir embora.

Ele tinha crescido

Ele tinha crescido e estava tão perdido dentro de sua própria imensidão, que não conseguia encontrar o interruptor de luz.

Ele tinha crescido

Ele estava perdido

Elas não sabiam o que fazer. Aquilo tudo estava muito chato, era pra ser legal, mas estava chato. Nunca ficava tão legal quanto era pra ser, isso cada vez mais as chateava de um modo incomensurável. Estava ficando insuportável. Elas queriam explodir tudo

Elas não sabiam o que fazer.

Eles brigaram de novo.

Eu nunca entendi direito, mas eles brigaram de novo. Eles brigaram por costume. Eles brigaram porque se amavam. Eles brigaram porque estava ficando chato. Eles brigaram, e só assim perceberam o quanto se amavam. Eles vão fugir. Agora eles decidiram ir embora, ir embora para sempre. Decidiram ficar juntos para sempre. Eles brigaram de novo. Eles brigaram porque se amavam. Eles decidiram ir embora, e eu nunca entendi direito, porque isso me apavora.

Eles vão embora.

Eu ouvi o barulho do carro chegando. Eu ouvi o barulho do carro passando. Eu ouvi o barulho do carro indo embora.

Eles não se olhavam.

Eles não se falavam.

Eles não chegavam perto porque tinham medo um do outro. Eles nunca disseram o que queriam porque tinham medo um do outro. Eles fingiam que não sabiam de nada porque tinham medo um do outro. Eles tinham medo um do outro porque era tudo o que eles precisavam. Eles tinham medo de sentir aquilo de novo porque sabiam que não iam mais conseguir viver sem. Eles tinham medo um do outro porque necessitavam um do outro.

Eles não se olhavam

Ele só queria se divertir

Ele não ouviu os avisos sobre como se divertir de um modo seguro. Ele só queria se divertir e agora: Parabéns Papai!!!
- Nossa, porque você está tão feliz?
- Porque minha namorada perdeu o bebê!

Ele começou a se divertir. Ele começou a fazer protestos. Ele começou a fazer bagunça. Ele começou a beber. Ele começou a viver lá pelos vinte anos.

- Vinte anos? Meio velhinho hein?
- Pois, é.
- Até os vinte, ainda faltam quatro longos anos. Até lá, agente já morreu de cirrose apática.
Hahahahahaha......ha..........ha..........................ha....
............................................ha............

Todos eles cresceram.

Todos eles passaram a vida inteira esperando por isso.

Todos eles achavam tudo isso uma bosta.

Eles realmente tinham crescido.

segunda-feira, setembro 27, 2004

Não me esquecer de respirar

Então eu finalmente fiz o que estou enrolando desde o ano passado para fazer. Todos passaram a minha frente, todos. Legal, você vai poder ver minhas lamentações, que divertido. Na verdade eu não quero que ninguém veja e ao mesmo tempo eu quero que o mundo saiba. Eu só precisava de um nome. Eu só precisava de uma desculpa. Eu só precisava de um motivo para não ir. O meu sangue é mais escuro que o comum, então ela me disse, foi apenas isso que ela me disse: você precisa respirar melhor. Achavam que era disso que eu precisava, respirar melhor. E é esse o seu conselho, e é esse o seu lembrete: Andressa, não se esqueça de respirar. Vou tentar não me esquecer de respirar. E é isso que eu digo a você: não se esqueça de respirar.